quarta-feira, 8 de abril de 2009

19 - Evolução e as idades do 'homem'

O ser humano nasce, cresce, evolui da adolescencia a adultice, vai à terceira idade, alguns a quarta, e finalmente morre. Será que termina aqui nosso ciclo de evolução? Marcelo Otmanu (http://www.ordotrimegistus.net/ ) nos apresenta uma interessante forma de ver o ciclo evolutivo do homem.



Também pode ser interpretado como a 'Escada de Jacó' do ciclo evolutivo.
A figura à direita mostra como as 'arvores da vida' em suas muitas dimensões, se interligam e justapõem, montando o enigma evolutivo, e que trancende a nossa vida na terra.


A figura colorida apresentada mostra a Árvore da Vida de outro ângulo, onde saimos inicialmente das trevas (o bebê), e evoluimos à infância. Ainda estamos dentro da gruta (Graal). A cada conhecimento que vivenciamos passamos pela 'sephirots' e pelos caminhos que as interligam.

O tempo passa. Saimos da gruta ((adolescencia) e dentro em breve alcançaremos a adultice. Continuamos na evolução, e alguns chegam e/ou superam a terceira idade.


Das trevas da inocência e da ignorância observamos o mundo.


Hiram Abif, Salomão e Hiram. São como tres reis, ou tres caminhos que iluminam o horizonte do conhecimento.

Do bebê à infância, a ânsia pelo saber. É preciso aprender os caminhos, mesmo antes de aprender a caminhar.

Chega então, a fase do uso dos instintos. O conhecer nos possibilita experimentar as coisas que nos cercam.


A audição, a visão, o tato, o olfato e o paladar, emergem como instrumentos da experiência.


Como as cinco colunas gregas, toscana, jônica, dórica, coríntia e compósita, os sentidos sustentam-nos nas vivências do ser.


É como uma escada em caracol, constituida de degraus, os primeiros como "reis" que governam a ascenção (Hiram, Salomão e Hiram Abif), com a sapiência do uso das colunas basilares, constituidas pelos cinco sentidos humanos.
Para que a governança se torne perfeita
fazem-se mister novos conhecimentos.


As artes e as ciências, surgem como basilares da evolução.

É preciso saber aplicar a gramática (1) e a retórica (2).


A lógica(3) e a aritmética(4) então se somam à geometria(5).

A música(6) e a astronomia(7) compõem os fundamentos do conhecimento, compondo estruturas para o desenvolvimento e a evolução.

Na estrutura da 'Árvore da Vida" ainda vislumbra-se mais um caminho, não alcançável pela percepção humana. Da BELEZA da sefira THIFERET à coroa da séfifa KETHER, emerge um caminho que não é um oitavo. É tão somente um caminho a mais, somado ao setimo, mas intangível à competencia dos nossos sentidos. Está num plano superior. Divino.

E tem muito mais!
REAA - SEMELHANÇAS OU MERAS COINCIDÊNCIAS?
----------------------------------------------------------

Nenhum comentário: