terça-feira, 7 de abril de 2009

18 - A Imortalidade e a Árvore da Vida

Para falar sobre ‘imortalidade’, recorre-se ao simbolismo da “ARVORE DA VIDA”, cujo conhecimento na mistica judaica se dá sob o nome de “KABBALAH”. Considerando que, sob a ótica de graus maçonicos se dedica especial abordagem sobre a ‘Arvore de Vida na Jeruzalém Celestial’, espera-se trazer a tona uma visão diferente, que traga motivação para uma discussão temática menos usual.
Kabbaláh é o termo mais comumente usado para se referir aos ensinamentos esotéricos do judaísmo e do misticismo judaico, especialmente nas formas adquiridas na Idade Média, do século XII d.C. em diante. A forma tradicional de codificação dos conhecimentos ocultos na Kabbalah é a Árvore das 10 Sefirots, representada na figura ao lado deste texto. Trata-se, também, de uma série de interpretações esotéricas do Velho Testamento (a Toráh). Por volta século XIV e XV d.C. outras correntes de estudiosos judeus, chegaram a afirmar que a Kabbaláh foi à parte esotérica da Lei Oral da Toráh dada a Moisés no Monte Sinai. Os cabalístas eram os principais simbologistas do judaísmo rabínico. Para o judaísmo a Kabbaláh era um sistema de símbolos místicos que refletiam os mistérios de Deus e o Universo, e a meta deles era descobrir e criar chaves para a compreensão desse simbolismo.
Em suma, através da Kabaláh se decifram os códigos secretos que estão contidos na Toráh (Antigo Testamento), como atua Deus e como Ele criou o Universo, o Homem e tudo que habita na Face da Terra. Encontram-se os conhecimentos codificados na Kabbalah, aplicados nas símbologias maçônicas, rosacruzes, e outras.
Cada uma das 10 ‘sefirots’ e cada ‘caminho’ que as interliga, possui um sigil proprio. O termo ‘sigil’ compõe-se de um símbolo, de um significado oculto, e de um som individuais. Na busca do conhecimento, o homem deve buscar um entendimento gradual, único no conhecer do conteúdo de cada sigil. Conteúdo a conteúdo se adquire a base para alçar o conhecimento do sigil que está adiante. As descobertas funcionam como canais através dos quais a Luz do Mundo Infinito chega ao Mundo Físico, alimentando tudo o que existe, incluindo as nossas almas. Num entendimento mais básico, a séfira mais abaixo na figura (MALKUT) está no plano da terra. A séfira mais acima (KETER) está no plano divino, dos anjos e arcanjos. A evolução do conhecimento, acontecerá no sucesso de se conhecer, consecutivamente e sucessivamente, o ’significado’ de cada sigil. Num sentido figurado, alcançar a “imortalidade”, seria conhecer todo o conhecimento dos muitos planos que compõem a Árvore da Vida.

A figura à esquerda representa o Adão Kadmon, como o homem pode ser representado no plano da Kabbalah. Cercam-no as figuras das 10 sefirots, onde cada conhecimento simbololiza a conquista do dominio de cada parte do corpo. Ao alcançar o conhecimento oculto nas ‘sefirots’, e, na sequencia o conhecimento do sigil de cada ‘caminho’, evolui o homem, passo-a-passo rumo a eternidade. Complemento indispensável na disposição da Sefirots,são os caminhos que religam, segundo um sistema que acusa um conteúdo de sabedoria. Cada caminho se relaciona com uma das 22 letras hebraicas .



Malkut (Reino) - Sefirá 10 é a dimensão do mundo físico, dos aspectos tangíveis da realidade; a única sefirá onde a matéria parece existir. Na melhor das hipóteses, só conseguimos perceber algo próximo a 6% de toda a realidade - um número que dá uma medida para a nossa limitação. Yesod (Fundamento) - Sefirá 9. Yesod é um grande reservatório que recolhe, equilibra e transfere toda a inteligência que é emanada das sefirót acima dela para Malchut. É a sefirá associada aos órgãos sexuais e onde se encontra o arquivo de vidas passadas e o inconsciente de cada indivíduo. Hod (Glória ou Esplendor) - Sefirá 8. Em Hod aprendemos a identificar o outro e, conseqüentemente, a aceitá-lo. Sua qualidade espiritual enfatiza a humildade e o reconhecimento. Netzach (Vitória e Eternidade) - Sefirá 7. Netzach é um armazém de energia positiva de Chessed, que irradia o desejo de compartilhar e se torna o canal desta energia na medida em que começa a abordar o mundo físico no qual vivemos. Tiféret (Beleza) - Sefirá 6. Representa a coluna central da Árvore da Vida e Yetzirá, o mundo da Formação. No corpo humano, está relacionado ao tronco. Guevurá (Julgamento) - Sefirá 5. Guevurá representa o Julgamento. Também a Força, a Grandeza e o Poder. Em nosso corpo corresponde ao braço esquerdo. Chessed (Misericórdia) - Sefirá 4. Chessed é a manifestação da misericórdia e gentileza no mundo. Representa o desejo de compartilhar, a doação incondicional, a mão que se estende em direção ao próximo.Em nosso corpo, Chessed é o braço direito. Biná (Entendimento) - Sefirá 3. Biná é a Mãe Universal, a usina geradora de energia para tudo o que existe - a dimensão de Briá, o Mundo da Criação. Localizada no topo do pilar da esquerda, transforma o "insight" gerado por Chochmá em pensamento ordenado, contribuindo para o desenvolvimento de uma idéia.Corresponde ao lado esquerdo do cérebro, o consciente, a interiorização de um conteúdo que de informação vira conhecimento.Chochmá (Sabedoria) - Sefirá 2. Chochmá é o topo do pilar da direita e representa o Pai Universal - o primeiro recipiente a conter toda a sabedoria do universo, a totalidade da Luz.Corresponde ao lado direito do cérebro, a criatividade, o inconsciente, o pensamento intuitivo, o "insight".Kether (Coroa) - Sefirá 1. Kether foi a primeira sefirá, o primeiro recipiente, a aparecer logo após a restrição e está ligada ao mundo de Adao Kadmon - o Homem Primordial. Esta sefirá está além da nossa de nossa realidade física, sendo o estado potencial de todas as coisas. A coroa está acima da cabeça do rei como Kether precede cada pensamento, sendo a Fonte de onde todas as coisas surgem e para onde irão retornar depois de completarem o seu ciclo de existência.


A figura da Árvore da Vida vista lateralmente, artisticamente elaborada por Marcelo Antunes ( http://www.ordotrimegistus.net/ ) , mostra, num plano lateral, como podemos visualizar a KABBALAH, onde os planos de nosso progresso espiritual são destacados. Na Árvore , à frente do Adão Kadmon, está o plano da TERRA (Assyah). È o plano de nossas vivências materiais, onde mais vale o que os olhos podem ver diretamente. Imediatamente às nossas costas o plano do AR, mais sutil, também chamado de Yetzrah. Bem mais distante de nossas competências, seguem-se os planos BERIAH (ÁGUA) e ATZLUH (FOGO). Todos estes planos compõem-se pelas 10 sefirots. Os dois ultimos planos são ainda mais sutis, na conticuidade de nossa existencia além da vida matérial. Tudo o que fazemos hoje baliza as condições de nossa vida no “amanhã”. Construimos nossa eternidade com nossas atitudes hoje. Assim se pode fazer o entendimento do conceito da imortalidade através da Àrvore da Vida”. Vai-se a matéria, porém continuamos na vida eterna. Maçonicamente, assim podemos também entender a vida além da morte, onde, acima de tudo, está o G:.A:.D:.U:..
E temos muito mais...é importante estudar!

6 comentários:

Anônimo disse...

Só uma correção, as pessoas tem a mania de chamar o Antigo Testamento de Torah, e isso é errado !!!!
Torah é o Pentateuco, os 5 primeiros livros da Bíblia, logo NÃO É o Antigo Testamento COMPLETO, como o post coloca.
O Antigo Testamento completo é a TANAKH !!!
A Tanakh contém a Torah e outros livros.
Os Católicos possuem um Antigo Testamento com livros a mais na qual na Tanakh não existem esses livros.
Os judeus consideram os livros extras que estão no Antigo Testamento Católico como importantes, porém não a tal ponto de entrarem no Canône da Tanakh.
Os Evangélicos possuem os mesmos livros da Tanakh.
Na Tanakh existem menos livros, pois Evangélicos e Católicos fizeram divisão dos livros da Tanakh, dividindo-os em mais livros.
Certos livros da Tanakh, vira 2 ou mais livros entre Evangélicos e Católicos.

Max Hespanhol disse...

Como se tudo isso fosse de alguma relevância!
Pelo amor de Zeus....

Regullus disse...

Belo texto, a uma grande correlação entre os cargos na Lj.'. e a Árvore da Vida. Iniciando no G.'.T.'. e finalizando no V.'.M.'.. Parabéns!

Regullus disse...

Belo texto, a uma grande correlação entre os cargos na Lj.'. e a Árvore da Vida. Iniciando no G.'.T.'. e finalizando no V.'.M.'.. Parabéns!

Rogério disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogério disse...

Filosofia (universo)